O Princípio Ativo

O princípio ativo da AK: a provocação diagnóstica “challenge”

Definição: provocação diagnóstica do organismo através de estímulos estruturais, químicos ou emocionais.

Significado:

O terapeuta, após uma anamnese normal examinará o paciente. São testadas as reações (forças) de diversos músculos, que possuem relação com a queixa mencionada. Em seguida, faz-se a provocação diagnóstica “challenge” que é específica para o músculo.

Após esta provocação, repete-se o teste com os músculos testados anteriormente, e nota-se e interpreta-se as mudanças encontradas.

OBS: o challenge pode ser de natureza química, mecânica ou emocional.

Existem, a princípio, duas categorias de provocação diagnóstica:

1 – Uma provocação com fatores que atuam negativamente no paciente.

Exemplificando este tipo de challenge:

O músculo reto da coxa está relacionado com o intestino delgado. Ele serve, assim como outros músculos, para testar alimentos, já que uma reação de intolerância se manifestaria na mucosa do trato gastro-intestinal.

Primeiro, testa-se o músculo reto da coxa ou outro músculo indicador, e verifica-se se ele reage normalmente.

A reação normal de um músculo é testada estimulando pontos de sedação da acupuntura ou, por exemplo, apoiando um ímã no ventre do músculo. As duas medidas inibem um músculo normal.

Em seguida, o paciente  prova o leite a ser testado (estímulo químico) e testa-se o mesmo músculo. Se há tolerância ao leite, não há mudança no teste muscular (challenge negativo). Caso haja intolerância, o músculo se enfraquecerá, ou haverá uma hiper-reação (não podendo ser inibido) ocorrendo um challenge positivo.

Resumo: uma provocação com fatores que atuem negativamente ou pesando no paciente mostra a reação seguinte:

 Músculo forte normo-reativo
 Challenge (mecânico, químico, emocional)
 Músculo não normal (fraco ou hiper-reativo)

2) Exame de pacientes com medidas que ajudam potencialmente terapias manuais, remédios etc.

a) Exemplo (teste de medicamentos):

Para se testar um medicamento contra um tipo de bronquite e verificar sua indicação e, também se é tolerado se é tolerado pelo organismo, pode-se utilizar o músculo deltoide, que está relacionado ao pulmão e que, em doençcas relacionadas ao pulmão muitas vezes se enfraquece. O paciente prova o preparado de vitamina C a ser testado (não o deglute) ou qualquer outro medicamento, e testa-se novamente o músculo que antes estava fraco. Caso o preparado ou o medicamento for o indicado e também for tolerado, o músculo fortalecerá e reagirá normal momentaneamente. Esta mudança na reação do músculo só se manterá enquanto a substância estiver na boca. Uma melhora só se estabelecerá com um tratamento prolongado.

Resumo:

A provocação com todos os fatores que ajudam o paciente (por exemplo, teste de medicamentos) demonstra as seguintes reações:

 Músculo anormal (fraco ou hiper-reativo)
 Challenge (mecânico, químico, emocional)
 Músculo forte normo-reativo

b) Exemplo (challenge mecânico):

Área predileta da AK é a medicina manual.

Em distúrbios do sistema osteo-muscular pode ser utilizado o challenge mecânico. Por exemplo, músculos estabilizadores da bacia (músculo isquiocrural) que reagem fracos em um entorce da bacia, reagirão momentaneamente fortes, quando se posiciona o paciente de decubito ventral, reposicionando a bacia com a ajuda de blocos triangulares. Esta provocação estrutural mostra a direção na qual deve seguir a correção do problema da bacia.

3) Exemplo (challenge mecânico)

Na Ortopedia Funcional dos Maxilares, pode-se corrigir, com a ajuda de vários tipos de aparelhos ortopédicos funcionais, músculos antes fracos no sentido do challenge mecânico estrutural.

Músculos fracos são a origem de desequilíbrio estrutural, ou seja, ortopédico, problemas da coluna vertebral, da pelve e demais.

Através do challenge mecânico pode-se fazer um diagnóstico funcional neuromuscular para correção destas cadeias em disfunção.